Botelho confessa afastamento para refletir sobre prefeituras

17/04/2019 - 15:21 hs

Gazeta Digital- Arthur Santos da Silva e Pablo Rodrigo


Presidente da Assembleia Legislativa licenciado em sessão desta quarta-feira (17), Eduardo Botelho (DEM) aproveitará os próximos 4 meses afastado do parlamento para refletir sobre 2020. O ano será marcado pelas eleições municipais.  

“É um momento de reflexão. Vou aproveitar uns dias parado para ler um pouco. Evidentemente fazer algumas reflexões sobre o futuro também, lógico”, revelou o político durante entrevista coletiva.   

O nome de Botelho é constantemente especulado como candidato ao cargo de prefeito em Cuiabá e em Várzea Grande. O parlamente afastado considera que possui qualidades para gerir as duas principais cidades de Mato Grosso. Porém, é necessário estudar a atual conjuntura.   

“Como pessoa, como preparo, eu me sinto preparado sim para ser prefeito de Cuiabá ou prefeito de Várzea Grande. Agora, condições eleitorais para ser candidato aí eu não sei se nós vamos adquirir. Aí depende do partido, depende de formação, depende de uma série de circunstâncias”, explicou.   

Eduardo Botelho também avalia que as decisões finais sobre o pleito de 2020 não serão estabelecidas agora. “São coisas que vão acontecer durante o tempo. Ainda não é o momento para a discussão de candidatura. Ainda é cedo pra discutir isso. Tem que ser discutido lá por março do ano que vem”, afirmou.   

O político ainda ironizou quando perguntado se está sendo sondado. “Sondado é toda hora. A gente é sondado pelo vizinho, pelo cara do prédio. Toda hora é sondado. Isso é normal”.     

Afastamento   

Botelho se afastou do cargo de deputado por 4 meses. Janaina Riva (MDB) assumiu a chefia da Casa de Leis também em sessão nesta quarta. Inicialmente o político disse que o tempo fora do parlamento serviria para cuidar da saúde e resolver assuntos pessoais.  

Porém, logo na primeira entrevista como deputado afastado, o democrata confessou que usará o período para refletir politicamente.