Senador culpa governos Silval e Taques por atraso em obra

12/08/2019 - 20:23 hs

Gazeta Digital- Vitória Lopes


Com obras iniciadas em 2012, mas paralisadas há 6 anos, a discussão em torno da construção novo Hospital Universitário Júlio Müller foi retomada na segunda-feira (12), em audiência pública. De acordo com o senador Wellington Fagundes (PL), só falta uma tomada de decisão do governo do Estado para o hospital finalmente acontecer.

O senador explica ainda que a União já repassou parte dos recursos para a construção do hospital, que já consta na conta do Estado. Inicialmente calculado em R$ 120 milhões, cerca de R$ 85 milhões foram incluídos no orçamento do Júlio Müller em 2012.

Entretanto, após 6 anos, apenas 9% da obra foi executada. Wellington pondera que foi desleixo dos últimos governos. “O governo Silval fez a licitação, começou a obra, tem aproximadamente 6% da obra, e a empresa abandonou. E passou o governo Pedro Taques e nada foi movido. E agora, no novo governo, espero que essa decisão seja tomada agora e rápido, pra que a gente possa ter em 3 anos a conclusão dessa obra tão importante”, avalia.

Ainda segundo o parlamentar, o governador Mauro Mendes esteve reunido com a reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Serra, para tratar do readequação da obra.

“No caso, como é um convênio com o Ministério da Educação, da universidade com o governo do Estado, e os recursos do Ministério da Educação estão 100% depositados na conta do Estado, ao nosso ver falta realmente o Estado tomar a decisão de fazer a prestação”, disse.

Conforme o projeto inicial, a unidade iria contar com 250 leitos, centro cirúrgico, 23 vagas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adulto, 16 pediátricas e 20 neonatal.

Segundo informações do governo, a  Secretária de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) já analisa a nova planilha.