Mirassol inaugura aterro sanitário para atender municípios do Vale do Jauru

Durante inauguração, deputado Valmir Moretto cobrou celeridade dos poderes. Segundo ele, Tribunal de Justiça e Ministério Público precisam ser mais sensíveis em causas como o do aterro, que demorou 10 anos para sair do papel.

Por Redação 09/09/2019 - 11:40 hs

Acompanhado de 13 prefeitos, vereadores, secretários e da população de Mirassol D’Oeste, o deputado Valmir Moretto (Republicanos) participou da inauguração do aterro sanitário que irá atender todos os municípios do Vale do Jauru. O ato aconteceu na sexta-feira (6), após longos 10 anos de luta do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Complexo Nascentes do Pantanal em parceria com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

O complexo de tratamento e disposição final de resíduos sólidos domiciliares está localizado na área rural de Mirassol D’Oeste. Diferente do antigo ponto de desova do lixo, o Aterro Sanitário é do tipo classe II, apropriado para resíduos domésticos e não perigosos.

Para o deputado Valmir Moretto, quando se fala em um local para tratamento do lixo, se fala em saúde pública e combate às doenças virais.

“Estamos combatendo todo tipo de doença e dando um passo grande para o futuro. Não podemos mais ter uma cidade que tem um lixão a céu aberto. Um aterro sanitário desse porte faz crescer muito a região do Vale do Jauru e principalmente combater doenças. A saúde pública de Mirassol e região agradece muito”, disse o deputado.

Moretto ainda pediu que a Justiça não obstrua mais em projetos de melhorias da cidade. “Hoje em dia tudo é burocracia. Demorou 10 anos para que a Justiça liberasse as licenças e esse Aterro Sanitário saísse do papel. Cá entre nós, um projeto para melhoria do povo e do crescimento da cidade, o Ministério Público e a Justiça estavam bloqueando. Isso não pode acontecer. Nunca. Por favor, não façam com outras cidades o que fizeram com Mirassol”, concluiu o parlamentar.

Atualmente, a unidade de tratamento de resíduos está estruturado com sistema de monitoramento e controle ambiental, célula para resíduos, sistema de tratamento de efluentes, pátio para compostagem de resíduos orgânicos, central de tratamento de resíduos de serviço de saúde, oficina, almoxarifado, guarita e balança de recepção, escritório administrativo e uma ampla e moderna central de triagem de matérias recicláveis com esteira elevada, além de máquinas, caminhões e outros equipamentos.

O aterro consorciado, que já conta com a Licença Ambiental de Operação recebendo inicialmente o lixo dos municípios de Mirassol D’Oeste, São José dos Quatro Marcos, Araputanga, Curvelândia e Indiavaí. Já os municípios de Figueirópolis D’Oeste, Glória D’Oeste, Jauru, Lambari D’Oeste, Porto Esperidião, Reserva do Cabaçal, Rio Branco e Salto do Céu, aguardam autorização e Licença complementar da Sema, para iniciarem a destinação do lixo ao aterro em Mirassol D’Oeste.