PEC de Bolsonaro é 'traição' e 'genocídio', citam deputados

06/11/2019 - 13:16 hs

Gazeta Digital


A proposta do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que pode acabar com municípios com até 5 mil habitantes e com baixa arrecadação própria não agradou parte dos deputados estaduais. A primeira a se levantar contra a proposta foi a deputada Janaina Riva (MDB), que apresentou moção de repúdio contra a proposta do presidente, já apresentada no Congresso Nacional. 

Seguindo o coro de Janaina, Valdir Barranco (PT) destacou que anda por Mato Grosso todo e que o Estado é grande. Lembrou que 23 distritos estão na fila para ser emancipados no Estado. Para ele, a atitude do presidente é uma traição a um Estado que deu a ele 66,42% dos votos na eleição de 2018. Segundo ele, Bolsonaro, apesar dos longos anos no poder, não conhece o Brasil e a realidade dos brasileiros. 

Destacou que desde quando ocorreram as divisões de municípios nenhum regrediu. "Um projeto desse só pode ter partido de quem não conhece o Brasil. Quero lembrar que boa parte dos eleitores dos 34 municípios votaram no presidente Bolsonaro e agora vão ficar de pires nas mãos", disse.  

Já Janaina lembrou que o Estado tem tamanho continental. Segundo ela, o plano Mais Brasil, seria um plano menos Mato Grosso. A parlamentar destacou que as cidades já são desassistidas, com os poderes que têm hoje. Destaca que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de Bolsonaro for aprovada seria uma atrocidade contra Mato Grosso. "O governo federal está cometendo uma atrocidade com o Estado de Mato Grosso e com a população desses municípios", destacou durante a sessão ordinária de terça-feira (05). 

O deputado Paulo Araújo (PP) também usou a tribuna para atacar o projeto do presidente. Para ele, Bolsonaro comete um genocídio contra os municípios e contra os servidores públicos.

Doutor João (MDB) também manifestou seu repúdio contra o projeto do presidente.  O deputado Tiago Silva (MDB) também fez coro contra a PEC do presidente. 

A favor

O deputado Silvio Fávero (PSL) defendeu a proposta do presidente. Segundo ele, é preciso ter um pouco de paciência e lembrou que é necessário, além de ter 5 mil habitantes, ter 10% de receita própria. Destacou que o projeto prevê a incorporação ao município vizinho. 

Ulysses Moraes (DC) também fez coro ao deputado. Defendeu o projeto do ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, os projetos do ministro têm sido elogiado no mundo todo e levando em conta os dois requisitos previstos na proposta faz com que 12 municípios apenas sejam incorporados. 

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) defendeu o debate com a sociedade e disse que é preciso conhecer a proposta a fundo e sugeriu um debate sobre o assunto no Brasil. "Tem municípios que não fazem nada, foram criados para dar empregos para uns e para outros, se acabarem não farão falta (como municípios)", disse ao defender que o presidente tem tido coragem em apresentar proposta antes discutidas em gabinetes. 

O deputado Xuxu Dal Molin (DC) também quer o debate. Segundo ele, é possível que Mato Grosso não perca municípios, caso a proposta do presidente seja aprovada.  Ele ponderou que é preciso levar qualidade de vida e não cabide emprego. "Não vou deixar de falar da coragem que o governo e o Congresso estão tendo coragem de debater", destacou.